Histórico

O trabalho realizado hoje na Alvorecer Ação Social emergiu nos anos de 1992 quando um grupo de voluntários do Centro Espirita Irmã Scheila, após contato com a realidade social local realizados nos eventos beneficentes, tiveram a perspicácia de criar um grupo com as mães que no decorrer dos anos transferiu-se para os filhos.
Na época intitulado clube de adolescentes, formados com 17 integrantes que tinham interesse de aprender datilografia porque acreditavam que poderiam se ascender profissionalmente, deram início a primeira turma de aprendizagem, com apenas duas máquinas de datilografia doadas. Estes voluntários por meio das avaliações e observações identificaram a necessidade de reforço escolar devido ao índice de baixas notas na escola, ainda o desenvolvimento do senso crítico do que é ser cidadão, higiene pessoal, educação ambiental e relacionamento interpessoal, decidiram instituir a Guarda Mirim como forma de desenvolver um trabalho de promoção humana e inclusão social.
Diante disso, em 1992 foi constituído juridicamente a Guarda Mirim Joana D’arc – Organização Não Governamental sem fins lucrativos, após um ano de trabalho, foi realizada a primeira formatura com 28 adolescentes e todos inseridos no mercado de trabalho. A primeira empresa a contratar aprendizes da unidade foi a Trombini.
Destaca-se que neste processo foi estabelecida em 2001 a parceria com o Lar Fabiano de Cristo e seu fundo mantenedor CAPEMISA Social, que auxiliou na fundação da unidade e crescimento da Instituição. Ocorre que no ano de 2010 por decisão unilateral do Lar Fabiano de Cristo foi sinalizado o desmembramento da parceria, fato que se consumou em outubro de 2014.
Em 2007 foi extinta a nomenclatura Guarda Mirim que caracterizava a atividade fim de formação de aprendizes e incluído o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para crianças e adolescentes de 6 à 13 anos, a partir de então e até os dias de hoje a Alvorecer Ação Social vem executando estes dois serviços na unidade. (Fonte: Materiais Institucionais).
Sendo assim, para manter este trabalho, a entidade conta com recursos financeiros provenientes dos seguintes parceiros: Fundação de Ação Social do Paraná – FAS para a execução do SCVF, Instituto Capemi de Ação Social com repasse simbólico, Bazar e Taxa administrativa cobrada das empresas parceiras que contratam nossos adolescentes aprendizes.
Somado a estes parceiros que contribuem financeiramente, a instituição conta com as seguintes Entidades:
Abrinq, Centro de Ação Voluntária, Mesa Brasil, Instituto de Pró Cidadania – IPCC, Quero Aula